2007/04/13

Cash burner

O que é que faz uma mulher quando está meia deprimida?... Isso... vai para o centro comercial mais próximo torrar dinheiro, que foi o que acabei de fazer na FNAC... Mas soube bem, não me apetecia ir para lado nenhum, queria estar sozinha no meu mundo, mas como nem sequer a chave de casa tinha, o mais próximo que obtive do meu mundo foi a FNAC.

Mas o bulício constante do centro comercial é uma tortura numa sexta-feira à noite, principalmente depois de uma semana de trabalho cansativa, sempre com excesso de informação! Precisava de me dividir em duas para conseguir recuperar o atraso em que está o trabalho, com montes de papéis por todos os lados, com um sem-fim de coisas por fazer, os "pendentes" eternamente pendurados... * suspiro *

Existem aqueles dias em que estou no meu limite da exaustão, naquele ponto crucial em que sinto que vou desmaiar de cansaço, estourado que está o meu joelho direito, tenho andado a correr e tenho momentos em que o meu coração me prega partidas. Ontem tive que me encostar, porque parecia que ia saltar fora do peito, tal era a forma arrítmica como ele batia. A sorte foi que durou menos de um minuto... um segundo mais e acho que pediria ajuda. Aconteceu duas vezes em duas semanas, creio que seja o excesso de trabalho para a falta de descanso, noites mal-dormidas, alimentação "fast" e muito tabaco. Neste momento podiam pôr-me num museu com uma placa a dizer: "exemplo de ser humano em stress"! O telefone não pára, as pessoas cobram, exigem e não compreendem as falhas... Sinto-me um caco, resumidamente! Fisica e mentalmente!

Não nasci equipada com travões para saber parar um dia para conseguir descansar, preciso de uma paulada na cabeça para dormir um extra... alguém se candidata?

2 Comentários:

Anonymous SK disse...

Se for uma paulada que queres, eu acho que posso/consigo fazer isso.
Mas, pode ser um algodão com éter? É que essa cena da paulada é demasiado violenta... :)
Quanto à vitrina do museu... olha, lamento informar, mas eu acho que não ia dar. É que conservar um espécime assim em permanente stress é difícil. É como o bicho da madeira, se não se matar a coisa evolui e temo que isso iria resultar em loucura, e desses espécimes já os há por aí aos molhos, especialmente dentro dos museus, nos gabinetes...

Bjs

14/4/07 11:06  
Blogger Label This! disse...

SK: só o cheiro do éter faz-me desmaiar à distância! :P

15/4/07 00:37  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial