2006/03/13

MULHER

Mulher, do Lat. Muliere. s. f., pessoa do sexo feminino, depois da puberdade; pessoa adulta do sexo feminino; esposa; consorte; senhora; pessoa do sexo feminino pertencente à classe popular; o conjunto das pessoas do sexo feminino; espécie de jogo. Bot., frágil: planta africana.

(O post mais do que atrasado e, acredito, um pouco polémico…)



Do Dia Internacional da Mulher há sempre muito a dizer: revê-se a História, os factos, os momentos, analisam-se as estatísticas, empreendem-se eventos comemorativos por todos os lados em que tropeçamos.

Longe de mim está a negação de que ainda existe exclusão e marginalização com base no sexo do indivíduo, tenho a certeza de que as mulheres ainda têm um imenso caminho a percorrer até que, finalmente, entendam que reside nelas o poder do mundo e não nos homens. A isso chamamos fertilidade.

Mas as datas deixam-me sempre pensativa: devemos celebrar, reflectir, analisar, mas nunca num dia especificamente marcado nos calendários do mundo. Hoje apetece-me ver o antípoda deste dia: o homem.

Constantemente, na esfera feminina, o papel do homem é renegado vezes sem conta para o hemisfério do futebol, dos carros, dos pregos nas paredes e dos móveis que têm que ser mudados de posição. Olhamos para eles como a força bruta que não queremos ter. despojamos os homens de sentimentos, emoções, relegamo-los para o plano meramente funcional e operacional, para isso eles saíram das cavernas: existiam para abastecer e servir a família, a mulher, os filhos.

Existirá maior subserviência do que esta? O homem ser artefacto, meio para um objectivo?

É criticável, claro, este ponto de vista, mas questiono: os homens não serão como são por molde social? Não serão as próprias mulheres as primeiras a educá-los masculamente? Um homem que expresse sentimentos, que abomine futebol, não ligue a carros e que seja suave e meigo não é visto como uma “aberração”? As mulheres não serão as primeiras a analisá-lo deste prisma?

E as mulheres? Queimámos os soutiens, gritámos que esta seria a nossa revolução sexual, vestimos calças e reclamámos os nossos trabalhos, os nossos direitos. Assumimos a igualdade de direitos, que estará sempre acima de qualquer julgabilidade, mas na hora do prego na parede continuamos a achar que precisamos dessa força bruta, porque o carácter feminino não pode ser violentado dessa forma.

Não será essa uma linha ambígua?

Sinceramente ainda não sei quem castra quem, mas quase me sinto tentada a afirmar que o mundo está nas mãos das mulheres e que passa por elas, somente, essa igualdade de direitos: o homem que possa chorar sem vergonha e a mulher a carregar mobiliário… para isso temos filhos, eduquemo-los na igualdade e na liberdade de expressão.


P.S. – It’s just a brainstorming! :)

7 Comentários:

Anonymous Chocolover disse...

E que brainstorming!

Agora tou eu ... no brainstorming!

Vou meditar sobre o assunto, e voltarei "mais logo" para (des)brainstormingzar.

14/3/06 17:23  
Blogger Label This! disse...

Choco: dá que pensar, não dá? ;)

As meninas como estão??? Tenho saudades vossas!

14/3/06 20:23  
Anonymous Chocolover disse...

Pois que nós também! P'ra quando uma visita????...

17/3/06 14:54  
Blogger Peg solo disse...

bons ventos a trazem de volta!
pois, concordo com partes! ha mulheres e mulheres, se há aquelas que são mais machistas que os homens também acredito na existência das que educam filhos e filhas em igualdade de deveres e direitos em tudo, raras, mas existem! educar p o futuro parece-me um optimo lema!

21/3/06 01:04  
Anonymous Anónimo disse...

Excellent, love it! radioactive isotopes in ovarian cancer treatment Lamictal for bipolar white sweater Free gay male porn pics Concerta 36mg tab Ca custom wristbands Html mass email

3/3/07 07:38  
Anonymous Anónimo disse...

You have an outstanding good and well structured site. I enjoyed browsing through it »

24/4/07 22:13  
Anonymous Anónimo disse...

http://www.maps.google.com/ - [url=http://www.wikipedia.org/]wiki[/url]
mail

26/4/13 19:16  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial