2005/06/03

CRESCER...

O acto de crescer trás consigo muitas coisas, para além do acrescer de responsabilidades, vamos perdendo contacto com partes importantes do nosso passado. Isso, pelo menos, aconteceu comigo. Depois que entrei para a Faculdade deixei de estar tanto tempo com os meus amigos e, com o passar dos tempos, fomo-nos afastando, porque cada um tinha um rumo diferente...

Temos os contactos uns dos outros memorizados no telemóvel, transcritos para as agendas a cada troca da mesma, de vez em quando cruzamo-nos, vamos sabendo notícias, grande parte através dos nossos pais que se encontram com os outros pais... Mas o tempo vai-se diluindo, espaçando, surgem novos projectos, novos obstáculos, novos amigos... e o contacto vai sendo cada vez mais espaçado...

A memória mantem-se intacta e, não raramente digo, que os meus tempos de escola foram deliciosamente fantásticos, e recordo sempre com muita ternura o nosso grupinho que fazia mil e uma asneiras, mas que eram sempre aceites com um raspanete a disfarçar o sorriso dos professores que nos adoravam. Éramos umas pestes, mas os primeiros a estarmos prontos para ajudar no que quer que fosse necessário. A nossa união era impressionante!

Os primeiros cigarros, as primeiras bebedeiras, as saídas à noite, muitas delas furtivas, com grande esquemas em que dormíamos na casa uns dos outros, os passeios, as férias, a praia, as associações de estudantes, as manifestações, as baldas, os testes, as festas, a saudável loucura! Ah! E os namoros, os amores que doíam e que deixavam feridas, mas que os amigos lambiam com uma dedicação incrível! Ficaria aqui horas a falar desses tempos que foram, sem dúvida, fantásticos!

O engraçado é quando o passado nos bate à porta, como sucedeu hoje comigo...

A Rita, que conheci no 7º ano e que a partir daí fez parte desse círculo intenso, telefonou-me a convidar-me para o casamento!

Casamento... a Rita... casar...

Perdi as palavras, mas de imediato recordei o tempo em que apostávamos entre nós que a Rita seria, seguramente, a 1ª a casar! E assim foi... e com isso nos rimos bastante hoje...

Em Agosto a Rita vai-nos juntar todos no seu casamento. Conhecemo-nos desde sempre, quase... Uma das pessoas desse grupo é minha amiga desde a 3ª classe, logo há quase 18 anos! É a minha vida,são todas as minhas memórias. Eles estão lá, sempre, e continuarão a estar. E faz-me bem pensar neles, fico de coração cheio!

Vamos ter um reencontro de emoções fortes, relembrar as aventuras, as trapaças, as loucuras... Vai ser uma despedida de solteira em grande e um casamento ainda mais forte, porque a Rita vai ser a 1ª a casar, assim, numa igreja, como nós sempre a imaginámos, porque ela sempre foi a mais certinha de todos nós. Porque vamos ter 1001 estórias para contar nossas vidas individuais e porque vamos ver o quanto crescemos e o quanto daquilo que somos actualmente, enquanto pessoas, se deve ao que vivemos em conjunto...

Em jeito de dedicatória ao nosso grupo de 9 doidos (mais os "arrufos" amorosos que orbitavam em redor) e para recordar as noites em que demos cabo do corpo a dançar freneticamente nas garagens uns dos outros, fica uma das nossas músicas mais emblemáticas na Label FM...

Hoje vai ser um dia cheio de nostalgia doce e amena e, certamente, mais logo vamo-nos telefonar mutuamente, para partilharmos estas emoções!

A Ritinha vai-se casar... :)

4 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

Gostei!!!
Todos temos essas recordações k guardamos p sempre nos nossos corações. Guardamos esses amigos num sítio especial e sabemos que, embora não os vejamos ou falemos com eles há uma cacetada de tempo, kdo nos encontramos é como se estivessemos estado juntos no dia anterior.
Felicidades p a Rita e parabéns pela aposta ganha.
A minha "Rita" ainda está solteira e quase todas nós já casámos (descasámos tb) e algumas já têm o seu próprio clã.
Eu perdi a aposta!
Estrunfina

4/6/05 14:56  
Blogger Label This! disse...

:)

Sem dúvida que é bom recordar e, ainda melhor, reencontrar!

Por enquanto ainda ninguém tem clã, acho que quando isso acontecer vamos fazer uma festa ainda maior e vai haver disputa sobre quem são os padrinhos! ;)

4/6/05 16:03  
Blogger Pequenos Nadas disse...

é muito estranho quando amigos com os quais crescemos juntos, se juntam para viver juntos com outras pessoas ou casam ou têm filhos (acho que os meus amigos ainda não estão nessa fase, a fase da procriação). É sempre esquisito pq as relações mudam, nós mudamos e a relação nunca mais é a mesma. às vezes quando penso nisso fico triste.

6/6/05 12:11  
Blogger Label This! disse...

Pequenos: concordo que é uma sensação estranha... no fundo é quando nos apercebemos que já somos "grandes". Mas eu fico contente, porque é mais uma etapa de vida e apenas espero que a felicidade seja um objectivo em si.

6/6/05 13:26  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial