2005/05/04

(IN)FIDELIDADE

Parece que um tema que anda em voga é a (in)fidelidade. Constou-me que até já são promovidos reality shows sobre o assunto, com direito a uns tabefes e tudo.

Ora, a pertinência do tema é muita, até porque sempre achei que desde que seja uma infidelidade com conhecimento de todas as partes envolvidas, a mesma é admissível, desde que todos concordem.

Bom, já alguém dizia que isto de se ser monogâmico é "uma seca". Eu não vejo as coisas por esse prisma, mas não deixo de ser a favor da liberdade de escolha.

Quem nunca se sentiu tentado que diga! Eu já, e por mais do que uma vez, embora nunca tenha passado disso mesmo: tentação. Como sempre fiz, e como a minha relação assenta na confiança, partilhei isso com a N(amorada) sempre que sucedeu. O curioso é que isso sempre teve o efeito menos esperado: apimentou as coisas entre nós!

Logo, tendo a concluir que a infidelidade pode ser catalizadora para a relação. Ou não? Sei que as premissas são demasiado precárias, mas não deixo de reflectir sobre este assunto e, variadíssimas vezes, o mesmo é debatido cá em casa.

A dúvida reside no enorme espaço que vai entre a teoria (liberalismo) e a prática (medo do conservadorismo). Não que esteja a pensar praticar o que quer que seja em seara alheia, apenas lanço uma questão pertinente:

- Serias capaz de ser infiel e dar conhecimento de tudo à pessoa com quem estás?

13 Comentários:

Blogger mar disse...

aqui em casa a politica é parecida. apesar de haver carta branca to get it out of your systemnunca cheguei a vias de facto com mais ninguém...

5/5/05 05:04  
Blogger mar disse...

e para responder à pergunta...
ia ser muito dificil não dizer.

5/5/05 05:08  
Anonymous Anónimo disse...

Já falamos sobre o assunto e a minha cara metade pediu-me que não lhe contasse caso alguma vez lhe fosse infiel.... Acho que é muito fácil haver tentação, mas daí a ser infiel.... Não sei se o seria... E se o fosse não era capaz de o esconder!

Andreia

5/5/05 09:38  
Blogger Acid Pig disse...

Tentações temos todas e acabo sempre por comentar com a maria lá de casa!!! e se ela for ao meu lado eu nem preciso de dizer nada LOL
Se isso acontecer ela será a primeira a saber, mesmo sabendo que vou ficar sem namorada.

5/5/05 10:41  
Blogger Label This! disse...

Mar: também nunca cheguei a vias de facto com mais ninguém (não nesta relação, mas o passado é uma longa estória...).

A mim parece-me é que o diálogo é importante e nunca deve ser descurado.

5/5/05 11:29  
Blogger Label This! disse...

Andreia (bem-vinda!!!): Há coisas que por vezes são de pele, de cheiro... quase que incontroláveis... E concordo com o teu ponto de vista.

5/5/05 11:31  
Blogger Label This! disse...

Acid: LOL! Elas topam tudo! Ui! ;))

5/5/05 11:32  
Anonymous Anónimo disse...

Obrigada pelas boas vindas!
Se calhar somos naturalmente poligamicos e culturalmente monogamicos.... Será?
:-)

Andreia

5/5/05 11:53  
Blogger Label This! disse...

Andreia: ora nem mais! Numa frase resumiste o cerne da questão! :)

Reitero: será?

5/5/05 12:05  
Blogger mar disse...

muito bem posto, andreia, muito bem posto!

5/5/05 14:22  
Anonymous Anónimo disse...

Infidelidade!

Poderia estar para aqui a opinar sobre as eventuais ... mas, apenas vou dizer que não sou apologista das ditas nem tão pouco saberia o que fazer caso acontecessem ...

Chocolover

5/5/05 22:44  
Blogger Teca disse...

Infidelidade tem como sinónimos, na língua portuguesa, deslealdade e traição. Logo, se de comum acordo um casal aceita dar umas tricadelas fora do matrimónio não há traição, há um estilo de vida. Convém é ter a certeza de que ninguém se está a trair a si próprio, na sua maneira de ser feliz só para alinhar numa proposta indecente. Infidelidade e deslealdade não são palavras bonitas, quer em contexto romântico quer fora dele. Não acredito que a infidelidade apimente as coisas. Acredito que regressar ao verdadeiro amor é afrdisíaco. E para rematar também acredito que no melhor pano cai a nódoa e não se deve cuspir para o ar. Nunca traí ninguém. Se o fizesse acho que contava e acho que ficava para sempre uma sombra na confiança. Há coisas que se esbatem mas não se apagam.

5/5/05 23:40  
Blogger Label This! disse...

Choco e Teca: também acho que são estilos de vida e longe de mim julgá-los, porque quando existem dois adultos os mesmos são suficientemente racionais para fazerem o que bem entenderem, dentro do consentimento mútuo, claro!

"Traição" é um termo que não se encaixa neste prisma que eu dei, até porque aí não existe o tal consentimento.

Ai... mais vale escrever isto num post senão é complicado! LOL ;)

5/5/05 23:51  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial