2005/04/06

FALO A LÍNGUA DOS LOUCOS III



A sequência dos posts anteriores, como podem constatar segue uma linha de raciocínio óbvia: as relações. Já o post das máscaras era uma espécie de introdução ao pensamento que me apetece exercitar com este dedilhar de teclado.

Todos os animais vivem de relações, estabelecem as mesmas por questões básicas de sobrevivência. Os humanos também, acima de tudo por uma questão de sobrevivência emocional, o que nos dias de hoje é uma tarefa hercúlea.

Sejam as relações do que tipo forem, cada vez mais se percorre a nossa vivência em busca de. Complemento. Segurança. Nutrição afectiva. Entendimento mútuo. Simbiose. Plenitude. Felicidade. Amor. Podemos vestir os adjectivos que melhor se adequarem, mas existe uma cadência que percorre cada indivíduo da mesma forma.

Serão as relações, cada vez mais, um cheque pré-datado? Uma espécie de “vamos ver o que isto dá e depois logo se vê”? Ou “hoje és a minha cara-metade, mas o mundo ainda é muito vasto”?

Esta não é, de todo, uma questão que me tire o sono, apenas a gosto de analisar, primeiramente na minha esfera pessoal, que se toca com centenas de outras. Gosto de tirar conclusões sobre os factos, depois de os desmontar peça por peça.

Eu acredito no amor eterno, na essência das almas-gémeas, na perenidade das relações calmas e suaves. Mas esse meu acreditar é tão utópico quanto o meu acreditar de que o mundo pode resolver o problema da fome.

Há falta de tempo para nutrir as relações. Facto. Cada vez mais temos discernimento para avaliar as falhas, pecados e defeitos de que temos ao nosso lado. Facto. Cada vez mais temos que nos adaptar às circunstâncias que nos vão surgindo. Facto.

Mas estes factos não podem servir de desculpa. Não se pode limpar tudo ao dizer-se “sou assim e pronto!”. Precisamente por sermos cada vez mais “assim” é que temos que contrariar a massificação, limar as arestas e melhorar os nossos defeitos. Principalmente a nossa forma de olhar o outro.

Estamos, indubitavelmente, a cair no “fast love”, se acabou pega-se no próximo. O “sweet love” é cada vez mais lamechas. Percorremos as pessoas em busca de alguém sempre melhor, mas essa busca é inglória, porque perfeição não existe, é utópica.

Todos somos seres de máscaras e é natural que nos agradem as máscaras iniciais, mas depois assustam-nos as máscaras densas que vão caindo ao longo da relação. Aí foge-se. É mais simples…

6 Comentários:

Anonymous Anónimo disse...

A M O R!! Palavra e sentimento deliciosa(o)!!!

Lemon ...-..!!

Label, desculpa o tempo de antena ...

Chocolover

6/4/05 16:10  
Blogger Label This! disse...

:)

Não tens que pedir desculpa! O amor não tem essa barreira e deve ser sempre invocado. ;)

6/4/05 16:48  
Blogger SalsolaKali disse...

Eu não sou especialista sobre o assunto e afinal não sou propriamente “mestre” em manter relações, mas acredito que há pessoas que são mais talhadas para mim do que outras, e sei acima de tudo, o que preciso. Deste modo procuro até encontrar.
Não foi à primeira, nem à segunda, nem à terceira… e durante todas essas vezes, mesmo sem saber, em cada uma delas vivi um amor com data de validade. Na altura nunca pensei nisso nem nunca as vivi a pensar nesse pormenor, mas acabaram por ser relações e amor finito. Mas não creio que quando se ama verdadeiramente se pense que, hoje estamos assim, amanhã não sei, logo se vê. Pensa-se (eu pelo menos) que o dia de amanhã é com este amor de hoje.
Acredito que se encontrar alguma vez “aquela” pessoa e se ela me encontrar, teremos a probabilidade de viver um amor, ou um grande amor (vá-se lá saber), para toda a vida, com a vida toda pelo meio, sem tempo ou data onde e quando acabar. Não sei como se faz, mas sei que irei fazendo, ou iremos, e a cada situação nova e inesperada, teremos de encontrar uma solução… Diz-se que a vida não é um mar de rosas. O amor tb não deve de ser. Deve ser mais como uma montanha russa. Sei lá.
Estes teus textos, minha amiga…
BJ
SK

(E lá vêem os meus comments do tamanho de um testamento)

6/4/05 18:42  
Blogger Label This! disse...

SK: o amor testa-nos a cada oportunidade, faz-nos abanar os alicerces, quanto mais não seja para que não adormeçamos... ;)

6/4/05 19:38  
Anonymous Anónimo disse...

Que o meu coração saiba sempre seguir o meu coração!

Choco, "tudo o que eu te dou, tu me dás a mim...", com tudo o que isso tem e quer ter de mim para ti!

Label, sabe-me bem sentir e pensar o Amor!

LemonTea

7/4/05 11:06  
Blogger Label This! disse...

Lemon T(r)ea: :)) o Amor é único!

7/4/05 11:24  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial